sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

PARAÍSO NAS GERAIS


Para onde você costuma ir quando precisa relaxar um pouco? Eu vou para a roça com a minha família! Como não tive férias, consegui fugir de Brasília por apenas uma semana e fui para a Fazenda Canoas – um lugar lindo que fica no triângulo mineiro. Temos um carinho especial por este lugar: ele era de meu avô Ermiro e foi herdado por meu pai.

Eu pequena na varanda, quando a fazenda era do meu avô



Minha mãe, Natália, eu e a Joana

Quando ele recebeu este pedacinho de terra, a sede antiga estava abandonada. A casa, que era linda antigamente, com grandes arcos na varanda, estava quase caindo aos pedaços. Foi quando meu pai assumiu as Canoas e, minha mãe, a restauração da casa. No início ela decidiu deixá-la com as cores originais, branca com as janelas azuis. Depois de muito penar, ela convenceu meu pai a pintá-la de rosa! Foi chocante para ele, lógico, ainda mais de rosa. Mais tarde ele cedeu e, hoje, até gosta.



Há alguns anos, a fazenda é o refúgio da família. Lá criamos algum gado, mas a paixão de todos são os cavalos Mangalarga Marchador. Para quem não conhece a raça, é um animal de marcha, que tem o andamento muito cômodo. Isso porque o cavalo tem o famoso tríplice apoio, ou seja, ele está sempre com três patas apoiadas no chão, o que faz com que a gente não “quique” na cela...  

Adicionar legenda
Pavão do Patureba, o primeiro garanhão do haras

Passamos oito dias por lá e foi tão bom! Nada de internet ou de telefone celular... Fato nada comum para uma família de jornalistas, acostumada com fechamentos de jornais e notícias em tempo real. Todo mundo deveria tirar férias do celular por pelo menos uma semana! Aproveitamos para ler, andar descalço, cozinhar um pouco no fogão à lenha e ficar horas sentados à mesa após as refeições batendo papo.


Coisa de mineiro...


Meu marido, Adriano, curtindo a varanda












Um comentário: